A Noviça e o Rebelde

Por trás das câmeras: nas filmagens de “Relações Criminosas”, Gisele Fraga estava focada em fazer um bom trabalho; Ray Liotta tentava tirá-la do foco…
Por SACHA DAWIDSON | Fotos Divulgação

relacoes_criminosas_OK1    relacoes_criminosas_02

A atriz brasileira Gisele Fraga, ex-capa da Playboy, ex-garota do Fantástico, ex-“Chico Anysio Show” rodou o thriller “Relações Criminosas” (disponível nas locadoras), em Hollywood, onde viveu uma experiência inesquecível, ou melhor, duas – uma na frente e outra atrás das câmeras. É o que ela conta nessa entrevista exclusiva.

Que tal é o Ray?
Ray é um ator muito focado. É uma pessoa que chega no set bem compenetrado, ele não conversa com muitas pessoas para não sair do personagem… Com a experiência dele, com mais de 80 títulos no cinema americano, ele pode fazer o que quiser. Eu o vi em tantos filmes que já perdi a conta. E era o meu primeiro filme americano.

Como foi seu primeiro encontro com ele?
Eu estava usando meu anel de casada. Ele pegou no meu dedo, no meu anel, olhou, rodou meu anel e falou: você é casada?
Eu falei: sou. Estávamos no restaurante do Hotel Casa Del Mar, em Santa Mônica, com o diretor, com a outra atriz que iria fazer a parceira dele, porque ele faz um detetive. E eu iria fazer a mulher dele. Ele queria conhecer as duas atrizes. Ele é um ator que dá trabalho, não assina contrato logo de cara, tem que conhecer todo mundo, saber exatamente onde está. Só depois assina o contrato. Em seguida, ele perguntou se meu marido estaria nas filmagens. Falei que não, mesmo porque meu marido estaria trabalhando na época, não poderia. Eu imagino que ele se sentiu à vontade comigo e começou a me tratar meio como se eu fosse a mulher dele. Então, teve uma vez ou outra que ele chegou perto de mim, já deu um selinho na boca… e a gente não estava filmando.

Ele ficou a fim de você, é isso?
Não sei… não diria isso… mas ele me deu bastante atenção, digamos assim, ele me deu mais atenção que ao restante do elenco.

Que tipo de cenas sexy você tem com Ray no filme?
Todas! Tem cenas de cama… Inclusive, elas nem foram tão exploradas…

Você ficou nua com ele na cama?
Fiquei. Com tapa-sexo. Não fiquei totalmente nua. Lingerie, tapa-sexo, junto com ele.

E ele?
Ele ficou de cueca.

Vocês transando e tal?
(risos) Tem cenas de sexo que nem foram tão exploradas, porque não é o foco do filme, apesar de que vários assassinatos estão acontecendo e todos vinculados a cenas de sexo. É um thriller policial. Ele está em busca de um assassino, um serial killer, e eu sou a próxima vítima. Porque todas as mulheres com as quais ele se relacionou estão sendo mortas… e não vou contar mais para não estragar o final. Ele começou a me tratar como se eu fosse a mulher dele. Teve uma vez ou outra que ele chegou perto de mim, já deu um selinho na boca. E a gente não estava filmando.

 

Relacoes Criminosas_OK
Relações Criminosas
(The River Murders – EUA – 2011)
Direção: Rich Cowan | Suspense
92 min. | Classificação: 12 anos

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>